RJ: (21) 2518-3099 | DEMAIS ESTADOS: 4003-3367

7 dicas para o empregador doméstico manter a rotina trabalhista em dia

7 dicas para o empregador doméstico manter a rotina trabalhista em dia

Carteira do empregado, pagamento do salário em dia e período de férias são alguns pontos que geram dúvidas no emprego doméstico

rotina trabalhista

Desde que a Lei Complementar 150 entrou em vigor em outubro de 2015, o empregador doméstico passou a ter obrigações trabalhistas que precisam ser cumpridas. Com isso, a Doméstica Legal reuniu sete dicas importantes para o empregador ficar atento, conhecer alguns tópicos sobre o universo doméstico e esclarecer algumas dúvidas. Confira!

 

1 – Carteira assinada

Conforme o artigo 29 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), após o empregador assinar a carteira de trabalho do empregado, ele tem o prazo de 48 horas para fazer as devidas anotações como a data de admissão, função, remuneração, entre outros; e devolver a carteira ao empregado.

 

2 – Salário

O pagamento do salário do empregado doméstico deve ser feito até o 5º dia útil do mês seguinte ao da competência, como consta o parágrafo 1º do artigo 459 da CLT. Vale ressaltar que o sábado é considerado dia útil para pagamento de salário. O não pagamento na data estipulada acarreta em descumprimento do contrato de trabalho, gerando complicações para o empregador como multas.

 

3 – Período de férias

Após o período de 12 meses o empregado ganha o direito de gozar férias, porém é o empregador quem escolhe o período adequado, segundo o artigo 136 da CLT: “A época da concessão das férias será a que melhor consulte os interesses do empregador.” O empregador também deve ficar atento para não pagar férias em dobro, isso acontece quando o período permitido por lei para concessão das férias ao empregado não é respeitado.

 

4 – Pagamento de “salário por fora”

Quando o empregador paga parte do salário por fora do que está assinado na carteira de trabalho do empregado, ele fica suscetível a uma ação trabalhista e o trabalhador doméstico perde seus direitos como INSS e FGTS. Este ato é proibido por lei.

 

5 – Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS)

Desde 2015 o recolhimento do FGTS do trabalhador doméstico é obrigatório. O empregador deve recolher 8% do salário do trabalhador a título de FGTS por mês. Esse valor é não é descontado da remuneração do empregado, conforme artigo 15 da lei 8036/90 (Lei do FGTS). O recolhimento é feito através da Guia DAE do eSocial como estipula a Lei Complementar 150:

Art. 34.  O Simples Doméstico assegurará o recolhimento mensal, mediante documento único de arrecadação, dos seguintes valores:

I – 8% (oito por cento) a 11% (onze por cento) de contribuição previdenciária, a cargo do segurado empregado doméstico, nos termos do art. 20 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991;

II – 8% (oito por cento) de contribuição patronal previdenciária para a seguridade social, a cargo do empregador doméstico, nos termos do art. 24 da Lei no 8.212, de 24 de julho de 1991;

III – 0,8% (oito décimos por cento) de contribuição social para financiamento do seguro contra acidentes do trabalho;

IV – 8% (oito por cento) de recolhimento para o FGTS;

V – 3,2% (três inteiros e dois décimos por cento), na forma do art. 22 desta Lei; e

VI – imposto sobre a renda retido na fonte de que trata o inciso I do art. 7o da Lei no 7.713, de 22 de dezembro de 1988, se incidente.

 

6 – Vale Transporte

O vale transporte é um benefício do empregado doméstico para que ele possa comparecer diariamente no local de trabalho. O fornecimento do vale transporte é uma obrigação para quem tem empregados com carteira assinada. Mas o empregador pode descontar o equivalente a 6% do salário do trabalhador para pagamento do transporte, com base no artigo 4º, parágrafo único da lei 7418/85.

 

7 – Documentos e recibos

Dentre as obrigações do empregador, manter os dados do trabalhador doméstico atualizados é imprescindível, principalmente os dados dos dependentes. Além disso, o empregador também deverá fornecer mensalmente ao empregado uma cópia dos recibos e da Guia DAE do eSocial paga.

As informações foram úteis? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Cadastre seu e-mail e fique sempre atualizado​

Deixe seu comentário sobre este post