O que fazer com o eSocial pago nos meses que a doméstica estava suspensa?

O que fazer com o eSocial pago nos meses que a doméstica estava suspensa?

Empregador doméstico não precisa pagar guia DAE durante o período de suspensão do empregado

eSocial

A suspensão do contrato de trabalho do empregado doméstico foi permitida com a MP 936, por até 60 dias, durante a crise causada pelo Covid-19. Mas com a publicação da Lei 10.422 em 14 de julho, esse prazo foi prorrogado por mais 60 dias, totalizando 120 dias de acordo entre patrão e empregado.

Para que a suspensão seja feita de forma legal, o empregador doméstico precisa comunicar ao Ministério do Trabalho por meio do site, além disso, também é preciso fazer a comunicação ao eSocial. Durante o período de suspensão (ela pode ter iniciado, por exemplo, no dia 10 de um mês específico) de suspensão, o empregador fica isento dos pagamentos recolhidos através da guia DAE como INSS e FGTS.

Contudo, muitos empregadores não têm feito o comunicado da suspensão do contrato de trabalho ao eSocial, pagando indevidamente a guia. Quando essa situação acontece, o empregador pode reaver o valor pago. Saiba como!

 

Como conseguir a restituição do valor pago na guia DAE durante a suspensão da doméstica?

A solicitação da restituição ou compensação do valor pago pode ser feita através do site da Receita Federal clicando aqui. É preciso que o empregador preencha o formulário de Pedido de Restituição ou ressarcimento. A opção “Pagamento Indevido ou a Maior” do formulário, é o que deve ser preenchido. Caso o pagamento incorreto tenha sido feito mais de duas vezes (2 meses de suspensão), o empregador deverá preencher o número de formulários iguais ao total de pagamentos feitos a mais. Para comprovar a informação, deve-se anexar ao formulário os comprovantes de pagamento das guias.

Feito isso, os formulários deverão ser entregues nas Unidades de Atendimento ao Contribuinte da Receita Federal, e o empregador poderá realizar um único pedido de restituição, por meio da criação de um único processo, ainda que o pedido seja referente a vários pagamentos.

 

O que fazer quando ocorrer recolhimento indevido do FGTS por meio do DAE?

Para solicitar a devolução do valor do FGTS pago de forma indevida, o empregador deverá seguir as orientações:

  • Acessar o site da Caixa Econômica Federal;
  • Ir na aba Downloads.
  • Selecionar a opção FGTS – Extrato e retificação de dados;
  • Baixar o formulário RDF – Retificação com devolução do FGTS.

Após preenchimento do RDF é preciso se dirigir a uma agência da CAIXA para dar entrada no protocolo do pedido de restituição dos valores. Devem ser anexadas as cópias da guia paga de forma indevida, mais o comprovante de conta bancária de titularidade do empregador para crédito dos valores.

 

E se o recolhimento indevido for da Contribuição Previdenciária e Imposto de Renda por meio do DAE?

Utilize o quadro “Outras Informações” para detalhar os valores pagos indevidamente.

Não sei como fazer o comunicado ao eSocial, me ajuda Doméstica Legal!

Claro que ajudamos! Temos um serviço específico para atender essa necessidade do empregador. Basta entrar em contato conosco clicando aqui e iremos te explicar melhor como funciona.

Compartilhe esta publicação

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Cadastre seu e-mail e fique sempre atualizado

Deixe seu comentário sobre este post

Mais acessados

🔎 Não achou o que procurava?

Faça sugestões de novos conteúdos