Novembro azul: como anda a sua saúde nessa pandemia?

Novembro azul: como anda a sua saúde nessa pandemia?

Prevenção é cuidado com a sua vida, e o empregador doméstico pode ajudar o empregado que não possui um médico para uma consulta periódica

novembro azul

Falar de saúde durante a pandemia é desafiador, mas precisamos ter consciência das necessidades do nosso corpo quanto ao nosso bem-estar. Assim como outubro é reservado à conscientização da prevenção do câncer de mama, novembro é reservado para alerta ao câncer de próstata, causador de milhões de mortes anualmente. É nossa responsabilidade social alertar todo empregador e empregado doméstico sobre esse problema tão recorrente. E a figura do patrão doméstico na vida do trabalhador, é de extrema importância nesse momento, aconselhando sobre o problema e sugerindo até um médico de confiança.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), no Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, ficando atrás somente de câncer de pele não-melanoma. Ele é considerado um câncer de terceira idade, já que cerca de 75% dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. É extremamente importante consultar o médico regularmente, pois alguns tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos, podendo levar o indivíduo à morte.

Possíveis sintomas e sinais do câncer de próstata

No estágio de início, o câncer de próstata evolui de forma silenciosa, o que evita o surgimento de sintomas. É preciso atenção a sintomas como: crescimento benigno da próstata com dificuldade de urinar e necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

Se o câncer não for identificado precocemente, em sua fase avançada pode provocar dor óssea, sintomas urinários, e até mesmo infecção generalizada ou insuficiência renal.

 

Diagnóstico precoce e tratamento

O diagnóstico precoce pode salvar vidas, então o recomendado pelos médicos é que homens a partir de 50 anos (45 anos se houver histórico de câncer na família) realizem os exames necessários anualmente.

A detecção pode ser feita por meio de investigação, com exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos, de pessoas com sinais e sintomas da doença. O acompanhamento anual impede promove um diagnóstico inicial e um tratamento com alto índice de cura. Os exames realizados são: PSA, exame de sangue e o toque retal.

Já o tratamento consiste em radioterapia e cirurgias, mas o médico deve avaliar cada situação. Então não deixe de consultar seu médico ou buscar a ajuda de um professional regularmente.

Fonte: Instituto Nacional de Câncer (INCA

Compartilhe esta publicação

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Cadastre seu e-mail e fique sempre atualizado

Deixe seu comentário sobre este post

Mais acessados

🔎 Não achou o que procurava?

Faça sugestões de novos conteúdos